SPC Brasil diz que 48% dos brasileiros ficaram com nome sujo em algum momento dos últimos meses

Anúncios

O Serviço de Proteção de Crédito (SPC) Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) indicaram, por meio de uma pesquisa, que 54% dos brasileiros ficaram com nome sujo em algum momento dos últimos 12 meses. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira, 28, e revelou, dentre outras informações, como as pessoas reagiram à negativação.

De acordo com os dados divulgados, 39% dos brasileiros passaram a controlar mais os seus gastos e 35% afirmaram que agora pensam mais antes de fazer as suas compras. 21% das pessoas entrevistadas também declararam que não emprestam mais o seu nome para outras pessoas. 18% delas ainda disseram que agora evitam fazer o pagamento de suas compras com cartão de crédito. Quer saber mais sobre a pesquisa? Então continue lendo o nosso artigo!

Anúncios
nome sujo
Entenda a declaração do SPC Brasil a respeito de brasileiros com nome sujo! (Foto: Divulgação)

Mais detalhe sobre pesquisa relacionada aos brasileiros com nome sujo

A pesquisa realizada pelas instituições ainda indica que 78% dos brasileiros conseguem pagar todas as suas contas em dia. No entanto, 33% dessas pessoas não conseguem guardar nenhum dinheiro. O levantamento também revela que 22% das pessoas que foram entrevistadas têm problemas para gerenciar o dinheiro que ganham. O resultado disso é que elas ficam inadimplentes com frequência.

Anúncios

Os dados apresentados pelo SPC Brasil e pelo CNDL também revelam que 48% dos brasileiros não têm o hábito de controlar os seus gastos. 25% desses indivíduos declararam que confiam na sua memória, 20% apontaram que não fazem qualquer registro daquilo que ganham ou gastam e 2% disseram que preferem delegar essa tarefa para outras pessoas.

Anúncios

A pesquisa deixa claro, porém, que também há pessoas que fazem o controle das suas finanças. Ainda assim, algumas delas não analisam esses dados com frequência e também não fazem as anotações sempre que deveriam. O estudo revela que 39% das pessoas entrevistadas só fazem os registros quando se lembram de fazê-lo e 27% só anotam os seus gastos e ganhos no fim do mês.

As instituições ainda revelaram que essas pessoas não fazem esse controle graças a algumas dificuldades específicas. Dentre elas, pode-se mencionar as oscilações da renda variável (21%), a falta de disciplina (20%) e a falta de tempo (7%). Ainda assim, 38% dos entrevistados afirmaram não ter problemas para monitorar as finanças.

Considerações finais

Isto posto, nós do Conseil Credit esperamos ter esclarecido os principais dados da pesquisa relacionada a negativação de 54% dos brasileiros em 2019. Comente se você foi uma dessas pessoas que ficaram nome sujo no ano passado e diga o que você aprendeu com a experiência. Além disso, não deixe de acompanhar o nosso site!

Anúncios

 

Anúncios

Fonte: G1

Imposto do pecado

“Imposto do pecado”: o que é, para que serve e o que esperar

presidente do INSS

Governo troca presidente do INSS e fala de MP que permitirá contração de aposentado no órgão

Anúncios